Meio&Mensagem
Publicidade

O que levou a NBC a investir meio bilhão de dólares no Snapchat

Matt Dickmann, diretor executivo da área de digital da Comcast, fala sobre a força do aplicativo nos EUA

Luiz Gustavo Pacete
14 de março de 2017 - 9h59

mattdickman

Matt Dickmann, diretor executivo da área de digital da Comcast

A Snap Inc, dona do Snapchat, ainda não completou um mês listada na bolsa de Nova York. Sua abertura de capital rendeu mais de US$ 3 bilhões e elevou o valor da companhia para US$ 30 bilhões. Todos os resultados positivos da Snap, até aqui, contrariam o clima de negativismo que estava relacionado à plataforma desde que ela se preparava para abrir capital. A desaceleração no crescimento de usuários e a queda de postagens sob o efeito do concorrente Instagram Stories colocou o aplicativo na berlinda. No entanto, a aposta dos investidores na empresa mostra que existe boa expectativa em relação ao futuro do Snapchat.

No Brasil, a situação do Snapchat pode ser ainda mais dramática, já que no mercado brasileiro o concorrente Instagram mostrou sua força e reduziu o ritmo de crescimento que a plataforma do fantasma vinha apresentando. Atualmente, ele já possui representação, mas carece de maior proximidade com o mercado.

61386939-21f7-4625-a486-f7f825ef5b0c

A NBC investiu US$ 500 milhões na Snap Inc

Nos Estados Unidos tem gente apostando pesado no Snapchat e é o caso da NBC, que pertence à Comcast. O grupo desembolsou US$ 500 milhões para comprar ações da Snap logo nos primeiros dias e ampliando seus investimentos em digital que já eram feitos no BuzzFeed e Vox. “O Snapchat tem sido um grande parceiro em todo conteúdo que as empresas do grupo estão produzindo e não seria possível construir a relação que estamos criando com o público jovem sem ele”, diz Matt Dickmann, diretor executivo da área de digital da Comcast, em entrevista ao Meio & Mensagem.

Dickmann explica que, nos Estados Unidos, a percepção de que o Instagram é o concorrente que está prejudicando o crescimento do Snapchat não é tão forte como a que existe no Brasil. “Aqui, as marcas descobriram de forma muito eficiente o papel do Snapchat e sua capacidade de dialogar com o público jovem que, até pode estar no Instagram, mas não se sente tão à vontade quanto no Snapchat. O Instagram mantém seu perfil mais massificado e com pessoas mais velhas enquanto o Snapchat tem uma vocação muito forte que é ser a plataforma dos millennials”, diz Dickmann. O executivo ressaltou as dezenas de parcerias que estão sendo feitas entre Snapchat e BuzzFeed com as outras marcas tradicionais do grupo e o quanto isso tem beneficiado a estratégia digital da empresa.

O principal alento em relação ao Snapchat é que ele não é apenas um aplicativo de imagem e vídeo, mas uma plataforma de soluções em vídeo e realidade virtual. Neste sentido, aqui em Austin, o Spectacles, óculos de VR da Snap, está presente em todos os cantos e parece fazer muito mais a cabeça daqueles que estão presentes no SXSW.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • comcast

  • instagram

  • nbc

  • snapchat

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”

Comentário: 1 Comentário

  1. Blog do JJ disse:

    […] do Facebook que passou a contar com um público cada vez maior de pessoas mais velhas entrando e possibilitando a demanda por plataformas mais discretas a esse público como o Snapchat, por exemplo, no entanto, para Kate no caso do YouTube é diferente já que o foco está muito mais […]

Deixe seu recado

Patrocínio