Meio&Mensagem
Publicidade

Retorno financeiro em Marte ainda é incerto

Projeto Space Architecture, desenvolvido pelo arquiteto brasileiro Luiz Paulo Pegorar e a Universidade Belas Artes, foi apresentado à NASA, em Austin

Luiz Gustavo Pacete
15 de março de 2017 - 13h28

marte

Vistas de longe, as discussões sobre os projetos de ir a Marte podem parecer muito mais roteiro de ficção científica. Quando se está em um evento como o SXSW onde a Nasa está presente e várias outras empresas discutem o tema, enxergar as possibilidades de habitar o planeta vermelho é cada vez mais possível. E quem pensa que o Brasil está longe dessa discussão, se engana.

O arquiteto brasileiro Luiz Paulo Pegorar, acompanhado do professor Giovanni Di Prete Campari, da Universidade de Belas Artes, esteve presente no Trade Show do SXSW com o projeto Space Architecture, protótipo de uma base planetária em marte. “Hoje, temos cada vez mais referências de projetos relacionados a Marte e empresas privadas em processo acelerado de desenvolvimento de tecnologias”, diz Pegorar.

Para ele, o principal desafio nas viagens está relacionada a questões técnicas, mas a perspectiva é que, até 2030, o homem possa chegar ao planeta vermelho. “Além da radiação, a maior dificuldade é com relação a raios gamas provenientes de explosões solares o que acaba comprometendo o sistema imunológico dos internautas expostos a doenças e ao próprio câncer”, diz Pegorar.

Giovanni explica que a exploração espacial é entendida por alguns cientistas como um seguro de vida dos seres humanos. “Na medida em que a Terra tem um prazo de validade, assim como nós, habitar Marte, faz sentido. Além disso, isso nos prepara para viagens espaciais e instalar-se em qualquer lugar do sistema solar”, diz Giovanni. Ainda segundo ele, a questão dos negócios em Marte não está relacionado a países. “Não se sabe se existe vantagem em explorar Marte, mas como retorno financeiro imediato ainda não há nada concreto. Se for em caso de dinheiro, a Lua é uma opção mais viável pela quantidade de minerais que ela possui”, diz Giovanni.

Como lembrou Pyr Marcondes, em seu texto sobre o assunto, é só uma questão de tempo, para que o homem chegue até Marte. “Os preparatórios estão em estado avançado. A NASA não está brincando em serviço. O recado foi claro e limpo aos presentes no SXSW”, escreveu Pyr.

 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • espaço

  • marte

  • nasa

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”

Patrocínio