Meio&Mensagem
Publicidade

Inovação, criatividade e times

Tudo isso pode ser encarado como tendência, mas para mim tudo isso já é realidade


14 de março de 2018 - 11h06

(Crédito: reprodução)

Nos últimos dois dias, assisti três palestras que abordaram um pouco dos temas no título descritos. A IDEO, uma empresa de global de design, estudou mais de 200 empresas e encontrou seis qualidades essenciais que impulsionam a criatividade e a inovação. São elas: experimentação, colaboração, empoderamento, refinamento, propósito e olhar para fora.

O diretor geral da IDEO, David Aycan, falou sobre cada uma delas. Se eu tivesse que escolher alguma para citar como principal, não conseguiria. Pensei um pouco a respeito e acho que consigo ficar com duas: empoderamento e propósito.

Para David, empoderamento é criar um caminho claro para as pessoas, e confiar de que elas vão fazer as coisas certas. Capacitar nas ferramentas adequadas e dar condições que as pessoas lidem com os desafios a partir de seus próprios julgamentos.

Propósito, por sua vez, é a razão clara de uma empresa existir, além de ganhar dinheiro. Por que estamos fazendo isso e não qualquer outra coisa no mundo? Quais as pegadas que vamos deixar? Qual o nosso legado? Isso ajuda a levar as pessoas para um caminho comum, e também permite que pessoas com os mesmos valores se unam, fazendo com que elas trabalhem melhor.

Pensando um pouco melhor, acho que fico com o propósito.

Na tarde de ontem assisti duas sessões, uma com o CEO da Evernote, Cris O’Neill, e outra com o VP de design para produtos de colaboração da Cisco, Torkel Mellingen. Ambas abordaram temas relacionados a times.

Cris disse que B2B e B2C são construções mortas, que o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal foi substituído por uma mistura de trabalho com vida pessoal, e que no final os consumidores são sempre pessoas.

Disse ainda que as pessoas estão sobrecarregadas de informação, que organização é pessoal, e não que times são o futuro do trabalho, pois são 50% mais produtivos que indivíduos trabalhando sozinhos. Ele defende, portanto, a adoção de um novo modelo mental que cria soluções/negócios individuais para times.

Já Torkel disse que vivemos a era dos times, e que a era dos gênios individuais acabou, já que os desafios atuais são muito complexos para uma mente só resolver.

Ele falou também sobre agilidade e colaboração nos processos como fatores críticos para o sucesso, e que o empoderamento – olha ele aí de novo – expande relacionamentos e visões de mundo.

O SXSW é marcado por temas e debates que geram reflexão, e que nos levam a tirar algum tempo para pensar sobre como estamos conduzindo nossas equipes e nossos negócios. Tudo isso pode ser encarado como tendência, mas para mim tudo isso já é realidade.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • South by Southwest

  • SXSW

  • SXSW2018

  • SXSWnoMM

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”

Patrocínio