Meio&Mensagem
Publicidade

O SXSW do Fear of Dating Again

Uma coisa que o festival sabe fazer como poucos é lançar uma nova máxima em formato de siglas, que pautarão discussões até a próxima edição


19 de março de 2021 - 12h49

(Crédito: Kelly Sikkema/ Unsplash)

Uma coisa que o festival sabe fazer como poucos é lançar uma nova máxima em formato de siglas, que pautarão discussões até a próxima edição do SXSW. Foi justamente através do burburinho de uma das edições que tive contato com o tal do FOMO – Fear Of Missing Out. Aquele tal desespero por perder algo que está acontecendo agora. Sim, pode parecer bobo num primeiro instante, mas de fato é uma baita discussão, pra lá de existencialista.

Minha aposta é para que desta vez o festival fale muito sobre FODA. Que nada mais é do que Fear of Dating Again.

Desde o início da pandemia, solteiros ao redor do mundo tiveram de ser muito criativos no quesito primeiro encontro. Embora a internet seja um terreno muito fértil desde os bate-papos do UOL, o encontro físico é sem dúvida alguma o momento em que toda aquela quantidade de sentimentos represados toma forma.

Ao redor do mundo, as pessoas parecem poder se encontrar logo mais. Mas, como o Brasil está prestes a se tornar um pária global, por aqui, quem leva a sério a catástrofe sanitária pela qual estamos passando irá desenvolver estes sintomas de forma ainda mais profunda.

Em janeiro deste ano, o app de relacionamentos Hinge cunhou o termo FODA como um desdobramento das crescentes discussões de “voltar ao normal”, envolvendo desde ansiedade meio à multidão até o medo geral de socialização.

Como a pauta do festival é internacional e por lá a possibilidade de se reencontrar é cada vez mais real, todas as discussões sobre ansiedade pós-apocalíptica se tornarão realidade. O medo e a incerteza de 2020 provavelmente permearão nossas vidas e, considerando o estresse, isolamento e mortes, será difícil não somente germinar relacionamentos, bem como cultivá-los para que deem frutos.

“É completamente compreensível ficar apreensivo sobre o namoro agora”, disse Rachel DeAlto, especialista em relacionamentos e chefe da Match. Não só temos a bagagem do ano passado, mas o namoro em 2021 também tem obstáculos imprevistos, como o quanto as pessoas se sentirão confortáveis num possível encontro na era Covid-19.

Logan Ury, diretor de ciência dos relacionamentos do Hinge, afirmou que compartilhar o sentimento de nervosismo com o futuro parceiro tende a tornar as coisas mais leves e relaxadas. “Não se preocupe se você não tiver a faísca inicial com alguém no primeiro encontro. Algumas das melhores conexões vêm com o tempo”, completou Ury.

Mas como saber se você está pronto para namorar? DeAlto recomenda olhar para dentro e avaliar: você tem energia para navegar em aplicativos, conversar e conhecer novas pessoas? Você tem capacidade para namorar?

Se sim, defina sua intenção. Você quer namorar ou encontrar um parceiro? É claro que essa intenção pode mudar, mas DeAlto acredita que metas são importantes, pelo menos no namoro, porque você saberá o que está procurando.

Uma vez que você tenha sua intenção de namoro, você tem de descobrir o que você está fazendo em termos de segurança da Covid-19. Isso pode parecer apenas namoro ao ar livre ou apenas namorar pessoas vacinadas.

DeAlto insiste que não há problema em conversarmos. É normal não se sentir confortável fazendo o que você fez antes da pandemia. Mas tenha uma discussão abertamente honesta consigo mesmo e seus pares sobre isso, ou então namorar será frustrante (pelo menos, mais frustrante do que o normal).

Em última análise, saiba que está tudo bem se você não está se esforçando para se colocar lá fora. O termo FODA existe por uma razão: não está acontecendo só com você. A ansiedade social prevalecia mesmo antes da pandemia, por isso é compreensível ficar especialmente ansioso depois de um ano sem estar fisicamente perto de outras pessoas.

DeAlto também dá umas dicas de namoro para quem tem essa ansiedade FODA:

– Apareça de maneira autêntica. É aqui que entra a honestidade assumida. Se, por exemplo, você não quiser comer dentro de casa, diga ao seu par em potencial. É melhor perder alguém que não consegue respeitar seus limites do que se sentir desconfortável durante um encontro.

– Concentre-se em estar presente. As pessoas ficam desconfortáveis ​​com o desconhecido – o que é apenas um dos muitos motivos pelos quais o ano passado foi tão difícil. É fácil se preocupar com o futuro, mas nenhum de nós sabe o que vai acontecer; você pode se permitir deixar isso ir e se concentrar onde está agora.

– Permita-se dar um “passo de bebê” para trás. Ninguém está dizendo que você precisa ter cinco encontros por semana ou ir a uma orgia extravagante assim que atingirmos a imunidade coletiva. Você pode demorar.

– De acordo com o especialista em consumidor Jayne Charneski, todos estamos emergindo da pandemia como pessoas diferentes. Nossas perspectivas e prioridades mudaram e isso se reflete em todos os aspectos da vida, incluindo o namoro.

Você está mais do que autorizado a sentir FODA, mas não precisa deixar que isso o impeça se realmente quiser namorar. Quer você queira namorar em um bar novamente ou continuar com passeios no parque. Os encontros pós-pandemia podem ser personalizados para se adequar a você.

O medo de se encontrar não se dará apenas com encontros amorosos, mas também com reencontros entre amigos, familiares, colegas de trabalho. As eleições estão aí e aquela ansiedade de não querer falar nem digitalmente com a família vai voltar.

Enfim, se relacionar por quaisquer que sejam os meios vai ser mesmo FODA.

_

Agradecimentos a Anna Iovine da Mashable e a Rodrigo Maroni.

 

Publicidade

Compartilhe

Patrocínio