Meio&Mensagem
Publicidade

O SXSW é uma batalha de pianos

Alguns participantes se mostraram esperançosos com os avanços tecnológicos na área da segurança e monitoramento


15 de março de 2022 - 12h06

Crédito: Divulgação

Além de toda a magia que o SXSW oferece, as ruas nas imediações também ficam tomadas pela energia inovadora e agitada do festival. As opções de entretenimento e conexão entre os participantes são muito variadas e uma das principais atrações são os bares de música ao vivo. Os músicos que tocam nesse tipo de local são muito talentosos e agregadores com o público que os assiste.

Um dos lugares mais impressionantes que visitei foi o Pete’s dueling piano bar. Lá, dois pianos, um de frente pro outro, são guiados por dois músicos, que se revezam entregando grandes clássicos para a plateia. Passam por variados estilos, desde canções locais e atuais, até músicas internacionais e antigas.

Ontem, durante o tempo que estive lá, encontrei uma relação entre o que eu assistia, completamente imerso no universo daqueles dois pianistas, e o que foi discutido até agora no evento. Assim como o formato do Pete’s, com pianistas antagonistas, o SXSW abre espaço para pontos de vista diferentes em sua grade de programação. Assisti a uma sessão sobre operações de pagamentos descentralizadas, em que os apresentadores foram questionados por perguntas ao final da sessão por pessoas na audiência que não concordavam com as previsões feitas. Mesmo com as opiniões contrárias, o espaço todo era de harmonia, aprendizado e curiosidade.

No ponto mais alto do dia, e talvez um dos mais marcantes do festival, Amy Webb, futurista e presença constante nos keynotes do SXSW, apresentou seu já tradicional relatório de tendências e chamou a atenção da audiência. Ela alertou sobre a urgência de agirmos quanto às questões climáticas e citou tendências tecnológicas, a parte que mais prendeu o público durante toda a sua apresentação. 

Alguns participantes se mostraram esperançosos com os avanços tecnológicos na área da segurança e monitoramento. Um exemplo disso é quando Amy mostrou um breve texto, geralmente lido em até três minutos, escrito em apenas três segundos por Inteligência Artificial. Porém, muitos pontos apresentados pela palestrante geraram discussões sobre o futuro da tecnologia, e o impacto direto em nossas vidas.

Todo esse antagonismo propositor vivido ao longo do dia, mostra como o SXSW, em resumo, o se trata justamente disso: o debate de ideias inovadoras que têm como objetivo tornar a nossa vida mais fácil e melhor, independente do campo. O festival nos auxilia muito quando falamos sobre abrir as nossas mentes para o novo e estudarmos questões ainda sem definição, mas que certamente serão pautas nos próximos anos.

Publicidade

Compartilhe

Patrocínio