Meio&Mensagem
Publicidade

Comunicação sem gênero

Tema não pode mais ser desconsiderado por marcas


22 de março de 2022 - 11h45

Crédito: Shutterstock

Nas últimas semanas diversas discussões sobre a linguagem neutra foram trazidas com mais veemência às pautas de diferentes portais de notícias, envolvendo até mesmo leis aqui no Brasil.

De acordo com um levantamento feito pela Semrush, o termo “linguagem neutra” ultrapassou 23 mil buscas, apresentando um crescimento de 236% entre janeiro de 2021 a janeiro de 2022. Mas a questão aqui vai além de certo ou errado, mas no real impacto na vida das pessoas. 


Na palestra “10 megatendências não óbvias que moldam 2022” conduzida pelo curador de tendências e autor da frase “pessoas que entendem pessoas sempre saem ganhando”, Rohit Bhargava falou sobre Ungendering, que significa tirar o gênero das coisas. O unissex já não é novidade há tempos e vem sendo puxado pelo universo da moda. Coleções com roupas para todos os corpos estão entre as principais demandas da Gen Z, por exemplo.

Mas a discussão vem acontecendo em diversas áreas e o debate sobre diversidade e inclusão está mudando a forma como vemos as pessoas. Se as conversas estão ganhando cada vez mais protagonismo, é provável que cada vez mais marcas passem a usar a linguagem neutra, assim como temos visto uma evolução diante o posicionamento de racismo e empoderamento feminino. É hora de criarmos um futuro diverso e inclusivo que englobe diferentes frentes, inclusive a maneira como nos comunicamos. 

Publicidade

Compartilhe

Patrocínio